Peritos da PF criam programa que acha imagens de pedofilia em minutos

postado 20/11/2017 por

Peritos da Polícia Federal em Campo Grande (MS) desenvolveram e aprimoraram um programa capaz de identificar, em poucos minutos, imagens e vídeos de pornografia infantojuvenil arquivados com suspeitos de pedofilia

 

A ferramenta forense NuDetective auxilia operações com a busca de arquivos de pornografia com imagens de crianças e pré-adolescentes, ainda no local do crime, durante o mandado de busca e apreensão.

"O suspeito não precisa compartilhar as imagens para responder criminalmente. Basta ter fotografias e filmes que exponham crianças para ser responsabilizado", explica o engenheiro Pedro Monteiro da Silva Eleutério, 40, que desenvolveu o programa em parceria com o cientista da computação Mateus de Castro Polastro, 37.
 
Esta é a principal diferença da ferramenta NuDetective em relação aos outros programas. Ela detecta e identifica arquivos que são desconhecidos e que nunca foram compartilhados na internet. O nome junta dois termos em inglês: "nude" (nu) e "detective" (detetive).
 
Os peritos já identificaram vídeos e fotos de abuso até de bebês com menos de um ano de idade. Em um computador de uma pessoa que se interessa por esse tipo de conteúdo, geralmente existem fotografias e vídeos de crianças de ambos os sexos e idades antes da puberdade.
 
Não existem estudos que definam um padrão sobre o pedófilo. No geral, de acordo com a Polícia Federal, essa pessoa possui muitos arquivos ilícitos, podendo variar de cem a 5.000 imagens de crianças. 
 
Já foram flagrados em operações desde pedófilos jovens, com 18 anos, até pessoas com mais de 60 anos.
 
De acordo com os peritos da Polícia Federal, existe uma tendência de se acreditar que as meninas são as mais procuradas pelos pedófilos, mas isso não é verdade. Os arquivos de pornografia infantojuvenil incluem meninos na mesma proporção.
 
A ideia do NuDetective surgiu devido à mudança do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em 2008, que tipificou como crime a posse de arquivos de pornografia infantojuvenil.
 
Como funciona
 
A análise de imagens, que foi a ideia original para concepção da NuDetective, atua como um detector de nudez.
 
Inicialmente, o software realiza a detecção automática de nudez em imagens por meio de técnicas de identificação de pixels de pele e de geometria computacional.
 
Depois, o NuDetective verifica o nome dos arquivos a fim de detectar as expressões mais comuns de pedofilia.
 
Em seguida, o programa compara o valor hash [a impressão digital do arquivo] com uma lista de valores de arquivos ilegais conhecidos.
 
Por fim, o programa calcula a amostra ideal e extrai frames de vídeos, realizando a detecção de nudez nos frames a partir dos algoritmos utilizados pela análise de imagem, permitindo a identificação de vídeos de pornografia infantojuvenil.
 
A taxa de sucesso do programa é de 95% de detecção de fotografias e 85% para vídeos com imagens de pedofilia.

Segunda-feira, 20 de novembro de 2017
Fonte: UOL

SHIS QI 9 Conjunto 11 CS 20 - Lago Sul CEP:71625-110
Brasília - DF
 

Telefones: (61) 3345.0882 / 3346.9481 / 3346.7235 / 3345.1123  
Email: apcf@apcf.org.br