O presidente da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), Willy Hauffe, participou de uma audiência pública na Comissão de Segurança Pública do Senado Federal. A sessão, mediada pela senadora dos Republicanos-DF, Damares Alves, teve como foco a importância da perícia e da tecnologia na localização de pessoas desaparecidas e a integração entre programas de inteligência e órgãos públicos.

Um ponto significativo discutido foi o suporte governamental ao desenvolvimento científico e tecnológico, essencial para avançar na elucidação dos casos de desaparecimento. A capacitação contínua dos agentes públicos envolvidos nas investigações também foi destacada como essencial para subsidiar a avaliação, em 2024, da Política Nacional de Busca de Pessoas Desaparecidas.

Durante a audiência, Hauffe enfatizou a necessidade de fortalecer o Banco Nacional de DNA e criticou a baixa prioridade dada à ciência no país. Ele também defendeu mais sinergia entre as forças de segurança, criticando a abordagem limitada a questões jurídicas que não contribuem efetivamente para a resolução dos casos.

blank

Entre os participantes estavam o Defensor Público-Geral da União, Leonardo Cardoso de Magalhães; representantes da Polícia Federal, Larissa Miranda e Frederico Skora; a titular da Delegacia de Polícia de Investigações sobre Pessoas Desaparecidas de São Paulo, Bárbara Lisboa Travassos; o presidente da Associação Brasileira de Criminalística, Marcos Antônio Contel Secco; o coordenador-geral de Políticas de Prevenção à Violência e à Criminalidade da Senasp, Leandro Arbogast da Cunha; a representante do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União, promotora de Justiça, Roberta Rosa Ribeiro; e a Secretária Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, Bruna Martins Costa.

blank