No INC, Sérgio Moro inaugura tecnologia que dará mais eficiência contra crimes sexuais

No INC, Sérgio Moro inaugura tecnologia que dará mais eficiência contra crimes sexuais

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, inaugurou nesta 4ª feira (11/3) o Centro Multiusuário de Processamento de Vestígios Sexuais do Instituto Nacional de Criminalística (INC) da Polícia Federal. O novo laboratório da perícia criminal federal conta com um robô ultramoderno de quase R$ 3 milhões e funcionará como um centro de referência para a extração de DNA de vestígios biológicos decorrentes de crimes sexuais.

A iniciativa é fruto de um acordo de cooperação técnica entre a PF e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Com a inauguração do centro tecnológico, será possível fazer o processamento dos vestígios relacionados a agressões sexuais que aguardam análise em todo o Brasil com mais rapidez. Durante apresentação da novidade para os jornalistas, o ministro Sérgio Moro destacou a importância do Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG) para a elucidação de crimes do tipo.

“Se confunde segurança pública, muitas vezes, com policial na rua. O policial na rua é importante, mas a segurança pública também exige que haja a redução da impunidade. E esses crimes sexuais, que vulneram especialmente as mulheres, se encontram entre as principais preocupações da população. Para se combater esse tipo de crime é necessário haver a identificação dos culpados. E o banco de perfis genéticos é um instrumento extremamente valioso para isso”, afirmou.

O novo centro da PF terá condições de processar cerca de 5 mil amostras por ano e integrará as perícias criminais dos Estados e do Distrito Federal. Inicialmente, serão atendidas as demandas do Acre, Alagoas, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima e Tocantins - localidades que ainda não estão alimentando o BNPG.

Fábio Salvador, diretor Técnico-Científico, chamou atenção para o trabalho de integração e cooperação entre as perícias. “Abrigar uma plataforma tecnológica tão desenvolvida como essa vai possibilitar que haja ainda mais integração de conhecimentos entre as perícias criminais. Os institutos de criminalística estaduais poderão trazer para cá as amostras, dando uma aceleração dos resultados.”

“Esse centro multiusuário de processamento foi pensado para permitir que esses estados também tenham acesso a esses modernos equipamentos”, complementou o coordenador da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG), o perito criminal federal Guilherme Jacques.

O presidente da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), Marcos Camargo, celebrou a nova aquisição para a perícia federal. “Os crimes sexuais, na maioria das vezes, só podem ser elucidados por meio de investigação científica. É muito raro uma prisão em flagrante de um caso desses. Por isso investir em tecnologias como esse novo laboratório é fundamental para o Brasil reverter o quadro de baixa taxa de solução de crimes.”

A criação do centro de processamento de vestígios sexuais é uma das ações do projeto de fortalecimento da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos.

Fotos: Ana Paula Batista

3ª feira, 11 de março de 2020