Histórico da Associação

A Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), fundada em 10 de março de 1989, teve início graças ao esforço de três peritas: Zaíra Hellowell, Liduína Maria Ferreira de Holanda e Maria de Fátima Tomás do Nascimento.

A mobilização dos peritos criminais federais em prol da fundação de uma associação aconteceu após a Constituinte de 1987, diante da ameaça representada por um artigo que estabelecia aos delegados federais vencimentos superiores aos dos peritos. Para se evitar essa indesejável hierarquia vencimental entre os interesses que envolvem à investigação pré-processual, ou seja, entre o responsável pela produção da prova material e o responsável pelo inquérito policial, que colocaria em risco a autonomia e a produção isenta da prova técnica, essas três peritas procuraram parlamentares e advogados especializados em Direito Constitucional e, dos encontros, saiu a sugestão para que se formasse uma associação e, com ela, a possibilidade de prover a Perícia Federal de mecanismos de representação e articulação com o Governo Federal e Legislativo.

A APCF teve como primeiro presidente o perito criminal federal Antônio Augusto de Araújo, que também foi diretor do Instituto Nacional de Criminalística e depois se tornou o Patrono da APCF. Zaíra Hellowell, na época, assumiu a vice-presidência da associação, que contava então com 154 membros fundadores. Hoje, por todo o país, são mais de mil e cem associados.

A APCF tem sede em Brasília/DF, onde atua a Diretoria Executiva, e conta com uma diretoria regional em cada Estado da Federação, além de possuir subseções regionais em alguns municípios.